PORTEFÓLIO

TEATRO & ESPETÁCULOS

As Voltas da Maralha

A CRIAÇÃO

Partindo da obra de 1961 “O Pecado de João Agonia” de Bernardo Santareno, leitura recomendada no Plano Nacional de Leitura do Ensino Secundário e da faixa “A Vaca de Fogo” dos Madredeus, (re)constrói-se uma realidade tanto rural como citadina; decerto (ainda) atual.

“Bernardo Santareno é o pseudónimo literário de António Martinho do Rosário, cujo exercício da medicina (em Psiquiatria) conciliou, durante anos, com a escrita para teatro, alcançando, desde a sua estreia nos anos sessenta, um papel de primeiro plano no teatro português. Entre registos realistas, de tonalidade mais naturalista ou com traços épicos, a sua escrita foi essencialmente de denúncia, atenta à realidade do país e visando uma consciência social, o que lhe valeu a proibição de algumas das suas peças e a perseguição pelo regime salazarista.

(…) Caracterizado pela fusão de temas populares com ambíguas preocupações existenciais, pela extrema agressividade dos conflitos examinados e pela ousadia do tema comum, o das violentas paixões e impulsos dos instintos, hetero ou homossexuais, que prevalecem sobre a razão. (…)” – Extrato da biografia, presente no website do Instituto Camões.

SINOPSE

Num espaço algures em Portugal, as famílias Agonia e Giestas desfiam-se num drama crescente que desde o primeiro segundo anuncia a tragédia para João Agonia, recém chegado de Lisboa onde, durante o serviço militar, fora condenado por um crime impronunciável que coloca toda a maralha daquele lugarejo em reboliço.

Serão sete, sete as voltas dessa maralha incapaz de compreender João que, cada vez mais ululante, pede morte. Morte por temor. Morte por não compreender. Morte por receio de contágio. Morte, por receio de serem eles condenados por terceiros.

FICHA TÉCNICA

  • COM: Tiago Guimarães
  • GÉNERO: Drama / Tragédia
  • DURAÇÃO: 70 minutos
  • ESTREIA: Pequeno Auditório – Centro Cultural Vila-Flor (Guimarães)

  • ANO DE PRODUÇÃO

    2018

  • COMPANHIA/ASSOCIAÇÃO:

    Citânia - Associação Juvenil

  • MECENAS:

    A Oficina - Centro de Artes e Mesteres Tradicionais de Guimarães Ciprl